Central de Atendimento (11) 3580-1000

Notícias

Técnicos em Automação Industrial e Mecatrônica: qualquer semelhança “não” é mera coincidência

  • 30 de maio de 2021

Apesar de certas similaridades e dependentes entre si, profissões apresentam diferenças que precisam ser consideradas

Resoluções CFT nº 119 e 120/2020: definem, respectivamente, as atribuições dos Técnicos em Automação Industrial e dos Técnicos em Mecatrônica

Qual é a diferença entre automação industrial e mecatrônica? Apesar de intimamente relacionadas por certas similaridades entre as áreas, basta pesquisar ou recorrer aos profissionais para descobrir que há diferenças que devem ser consideradas entre essas profissões “coirmãs”. Em linhas gerais, a automação industrial está voltada ao gerenciamento de projetos, empregando programas de computação, sistemas automatizados e redes industriais no controle de processo e produção. Por sua vez, a mecatrônica combina conhecimentos e técnicas em elétrica, mecânica e informática, contribuindo para o desenvolvimento de sistemas automatizados controlados por computador. Para o professor Juliano Vieira de Paula, a mecatrônica e a automação Industrial trabalham em sintonia; então, uma depende da outra. “A automação industrial atua no desenvolvimento e controle de processos e gerenciamento da produção, buscando a otimização do processo produtivo como um todo; já, a mecatrônica envolve desenvolvimento de tecnologias, implementação e manutenção de máquinas e equipamentos no setor industrial”, diferencia o coordenador de curso técnico na ETEC Dr. Júlio Cardoso em Franca, instituição de muita tradição que reúne docentes com vasta experiência e forma profissionais para muitos municípios da região noroeste do estado. “A escola possui completa infraestrutura de salas e laboratórios para o desenvolvimento de aulas práticas e a preparação de técnicos para o mercado de trabalho”, acrescenta.

Juliano Vieira de Paula: “As resoluções são de suma importância para os profissionais técnicos de todos os segmentos”

Respeitando os limites pertinentes às atividades de cada uma dessas modalidades, em 14 de dezembro de 2020 o Sistema CFT/CRT baixou as Resoluções CFT nº 119 e 120: a primeira, definindo as atribuições dos Técnicos em Automação Industrial; a segunda, dos Técnicos em Mecatrônica. Em tempo, recordando as palavras do diretor de fiscalização e normas do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) durante participação na Semana do Técnico Industrial: “O Futuro é Agora” em setembro de 2020, tratam-se de “normas jurídicas destinadas a disciplinar assuntos de interesse do CFT e esclarecer pontos ainda não detalhados em leis específicas”, editadas em conformidade com a legislação vigente. “As resoluções são de suma importância para os profissionais técnicos de todos os segmentos; pois, através delas é possível garantir o pleno exercício da profissão na forma da lei, possibilitando o desenvolvimento e a valorização da classe”, opina Juliano Vieira de Paula.

Ademailton Dias de Oliveira: “Perdi a chance de promoção e saí de uma empresa onde trabalhava porque não tinha registro no conselho”

Registro profissional gera oportunidades – “Perdi a chance de promoção e saí de uma empresa onde trabalhava porque não tinha registro no conselho”, recorda Ademailton Dias de Oliveira, natural de Central (BA) e residente em Francisco Morato, relatando que os empregadores exigiam experiência em outras áreas; no entanto, ele é grato pela oportunidade de ter estabelecido os primeiros contatos com pneumática, eletrônica, inversores de frequência, etc. “A partir dali, busquei um curso técnico que me oferecesse conhecimento nessas áreas e me deixasse em condições para uma futura entrevista de emprego, com resposta caso o entrevistar alegasse precisar de um profissional multifuncional”, continua. Foi então que decidiu pelo curso técnico em automação industrial ingressando no SENAI Mariano Ferraz, mas infelizmente teve que abandonar antes da conclusão por motivos de mudança de trabalho e incompatibilidade de horário. “Em 2011, passei no vestibulinho da ETEC Gildo Marçal Bezerra Brandão em São Paulo e comecei do zero no mesmo curso; dois anos depois, estava formado”, comemora. As oportunidades apareceram e, aliando competência com determinação, Ademailton Dias de Oliveira adquiriu sólidos conhecimentos em automação industrial trabalhando em empresas prestadoras de serviços para grandes grupos e corporações. Atualmente, com registro válido no Conselho Regional dos Técnicos Industriais do Estado de São Paulo (CRT-SP) para o exercício legal da profissão, ele é funcionário de uma empresa de manutenção e também trabalha como microempreendedor individual, empregando um mecânico e dando oportunidade de aprendizado para um auxiliar. Como sinal de que a vida dá muitas voltas, não poderia negar a alguém a chance que lhe tiraram no início de sua trajetória profissional.

No combate à pandemia: papel fundamental da automação industrial e mecatrônica, inclusive para a área de saúde

Em meio à pandemia – A automação industrial e a mecatrônica também podem colaborar nesse novo cenário social configurado a partir da mudança de hábitos e comportamentos, em consequência do distanciamento social necessário para conter o avanço da pandemia de coronavírus (COVID-19). “Sem a automação industrial e a mecatrônica trabalhando constantemente para a otimização dos processos industriais – inclusive na área de saúde –, a situação estaria ainda mais caótica”, prevê Juliano Vieira de Paula, concordando que ambas desempenham papel fundamental no atual momento do país e do mundo.

Aníbal Takeshiro Fukamati, o professor Take: “Sistemas mecatrônicos continuarão sendo desenvolvidos durante e após a pandemia

Por ocasião de uma série de matérias publicadas pelo CRT-SP inserindo os técnicos na linha de frente no combate à pandemia, o engenheiro eletricista Aníbal Takeshiro Fukamati – atualmente diretor geral do IFSP de Registro – avaliou que esses profissionais podem e devem atuar em projetos que permitam o desenvolvimento de equipamentos de saúde e higienização; além disso, muitas atividades produtivas realizadas sem a necessidade do contato humano serão foco para o desenvolvimento de soluções com o auxílio da mecatrônica. “Para atender à população, sistemas mecatrônicos continuarão sendo desenvolvidos durante e após a pandemia, e nós vislumbramos um horizonte repleto de atividades”, finaliza o professor Take – como é carinhosamente chamado pelos alunos –, convicto de que todos terão muito trabalho pela frente.

Últimas notícias

34ª EXPO USIPA no Vale do Aço, em Ipatinga

Em Minas Gerais, CRT-SP prestigia uma das mais importantes exposições do país voltadas à divulgação e fomento de negócios e serviços no setor industrial (mais…)
Ler mais...

31ª Reunião do Fórum de Presidentes dos CRTs

Presidentes de oito conselhos regionais reúnem-se para discussão de pautas que convergem para a representatividade, respeito e valorização dos técnicos (mais…)
Ler mais...

Inauguração da nova sede do CRT-04, em Florianópolis

CRT-SP é representando por Gilberto Takao Sakamoto e Rubens dos Santos, presidente e diretor de fiscalização e normas (mais…)
Ler mais...

Técnicos em Automação Industrial e Mecatrônica: qualquer semelhança “não” é mera coincidência

  • 30 de maio de 2021

Apesar de certas similaridades e dependentes entre si, profissões apresentam diferenças que precisam ser consideradas

Resoluções CFT nº 119 e 120/2020: definem, respectivamente, as atribuições dos Técnicos em Automação Industrial e dos Técnicos em Mecatrônica

Qual é a diferença entre automação industrial e mecatrônica? Apesar de intimamente relacionadas por certas similaridades entre as áreas, basta pesquisar ou recorrer aos profissionais para descobrir que há diferenças que devem ser consideradas entre essas profissões “coirmãs”. Em linhas gerais, a automação industrial está voltada ao gerenciamento de projetos, empregando programas de computação, sistemas automatizados e redes industriais no controle de processo e produção. Por sua vez, a mecatrônica combina conhecimentos e técnicas em elétrica, mecânica e informática, contribuindo para o desenvolvimento de sistemas automatizados controlados por computador. Para o professor Juliano Vieira de Paula, a mecatrônica e a automação Industrial trabalham em sintonia; então, uma depende da outra. “A automação industrial atua no desenvolvimento e controle de processos e gerenciamento da produção, buscando a otimização do processo produtivo como um todo; já, a mecatrônica envolve desenvolvimento de tecnologias, implementação e manutenção de máquinas e equipamentos no setor industrial”, diferencia o coordenador de curso técnico na ETEC Dr. Júlio Cardoso em Franca, instituição de muita tradição que reúne docentes com vasta experiência e forma profissionais para muitos municípios da região noroeste do estado. “A escola possui completa infraestrutura de salas e laboratórios para o desenvolvimento de aulas práticas e a preparação de técnicos para o mercado de trabalho”, acrescenta.

Juliano Vieira de Paula: “As resoluções são de suma importância para os profissionais técnicos de todos os segmentos”

Respeitando os limites pertinentes às atividades de cada uma dessas modalidades, em 14 de dezembro de 2020 o Sistema CFT/CRT baixou as Resoluções CFT nº 119 e 120: a primeira, definindo as atribuições dos Técnicos em Automação Industrial; a segunda, dos Técnicos em Mecatrônica. Em tempo, recordando as palavras do diretor de fiscalização e normas do Conselho Federal dos Técnicos Industriais (CFT) durante participação na Semana do Técnico Industrial: “O Futuro é Agora” em setembro de 2020, tratam-se de “normas jurídicas destinadas a disciplinar assuntos de interesse do CFT e esclarecer pontos ainda não detalhados em leis específicas”, editadas em conformidade com a legislação vigente. “As resoluções são de suma importância para os profissionais técnicos de todos os segmentos; pois, através delas é possível garantir o pleno exercício da profissão na forma da lei, possibilitando o desenvolvimento e a valorização da classe”, opina Juliano Vieira de Paula.

Ademailton Dias de Oliveira: “Perdi a chance de promoção e saí de uma empresa onde trabalhava porque não tinha registro no conselho”

Registro profissional gera oportunidades – “Perdi a chance de promoção e saí de uma empresa onde trabalhava porque não tinha registro no conselho”, recorda Ademailton Dias de Oliveira, natural de Central (BA) e residente em Francisco Morato, relatando que os empregadores exigiam experiência em outras áreas; no entanto, ele é grato pela oportunidade de ter estabelecido os primeiros contatos com pneumática, eletrônica, inversores de frequência, etc. “A partir dali, busquei um curso técnico que me oferecesse conhecimento nessas áreas e me deixasse em condições para uma futura entrevista de emprego, com resposta caso o entrevistar alegasse precisar de um profissional multifuncional”, continua. Foi então que decidiu pelo curso técnico em automação industrial ingressando no SENAI Mariano Ferraz, mas infelizmente teve que abandonar antes da conclusão por motivos de mudança de trabalho e incompatibilidade de horário. “Em 2011, passei no vestibulinho da ETEC Gildo Marçal Bezerra Brandão em São Paulo e comecei do zero no mesmo curso; dois anos depois, estava formado”, comemora. As oportunidades apareceram e, aliando competência com determinação, Ademailton Dias de Oliveira adquiriu sólidos conhecimentos em automação industrial trabalhando em empresas prestadoras de serviços para grandes grupos e corporações. Atualmente, com registro válido no Conselho Regional dos Técnicos Industriais do Estado de São Paulo (CRT-SP) para o exercício legal da profissão, ele é funcionário de uma empresa de manutenção e também trabalha como microempreendedor individual, empregando um mecânico e dando oportunidade de aprendizado para um auxiliar. Como sinal de que a vida dá muitas voltas, não poderia negar a alguém a chance que lhe tiraram no início de sua trajetória profissional.

No combate à pandemia: papel fundamental da automação industrial e mecatrônica, inclusive para a área de saúde

Em meio à pandemia – A automação industrial e a mecatrônica também podem colaborar nesse novo cenário social configurado a partir da mudança de hábitos e comportamentos, em consequência do distanciamento social necessário para conter o avanço da pandemia de coronavírus (COVID-19). “Sem a automação industrial e a mecatrônica trabalhando constantemente para a otimização dos processos industriais – inclusive na área de saúde –, a situação estaria ainda mais caótica”, prevê Juliano Vieira de Paula, concordando que ambas desempenham papel fundamental no atual momento do país e do mundo.

Aníbal Takeshiro Fukamati, o professor Take: “Sistemas mecatrônicos continuarão sendo desenvolvidos durante e após a pandemia

Por ocasião de uma série de matérias publicadas pelo CRT-SP inserindo os técnicos na linha de frente no combate à pandemia, o engenheiro eletricista Aníbal Takeshiro Fukamati – atualmente diretor geral do IFSP de Registro – avaliou que esses profissionais podem e devem atuar em projetos que permitam o desenvolvimento de equipamentos de saúde e higienização; além disso, muitas atividades produtivas realizadas sem a necessidade do contato humano serão foco para o desenvolvimento de soluções com o auxílio da mecatrônica. “Para atender à população, sistemas mecatrônicos continuarão sendo desenvolvidos durante e após a pandemia, e nós vislumbramos um horizonte repleto de atividades”, finaliza o professor Take – como é carinhosamente chamado pelos alunos –, convicto de que todos terão muito trabalho pela frente.

Últimas notícias

34ª EXPO USIPA no Vale do Aço, em Ipatinga

Em Minas Gerais, CRT-SP prestigia uma das mais importantes exposições do país voltadas à divulgação e fomento de negócios e serviços no setor industrial (mais…)
Ler mais...

31ª Reunião do Fórum de Presidentes dos CRTs

Presidentes de oito conselhos regionais reúnem-se para discussão de pautas que convergem para a representatividade, respeito e valorização dos técnicos (mais…)
Ler mais...

Inauguração da nova sede do CRT-04, em Florianópolis

CRT-SP é representando por Gilberto Takao Sakamoto e Rubens dos Santos, presidente e diretor de fiscalização e normas (mais…)
Ler mais...